Quanto custa manter meu studio funcionando

Muita gente me pergunta:
- que tipo de programa e apps eu uso?
- se esses programas são pagos ou não?
- se são pagos, quanto custam?
- qual é o meu computador?
- onde consigo minhas imagens?
- etc etc.

Hoje vou escrever tudo que uso para fazer as minhas criações e tocar meu business.

quanto custa manter meu studio

Bom, você sabe que eu atualmente moro em Singapura (e antes disso em Buenos Aires, e antes disso em Dubai e antes disso em Houston…) então, por motivos óbvios, meu negócio é 100% online.

Não tenho reuniões presenciais (tudo é conversado por email, WhatsApp, FaceTime ou Skype), não pago aluguel para um espaço (trabalho num home office), não gasto dinheiro com deslocamentos pela cidade e nada do gênero.

Massss….tenho alguns custos fixos e alguns programas gratuitos que me ajudam a mater meu negócio funcionando dia após dia.


1 | Website

O Squarespace como vocês sabem é a plataforma que eu trabalho e que tenho meu site hospedado lá. E, para isso, pago uma anuidade para ele funcionar 100%.

Ele tem diferentes valores de acordo com o número de páginas, se sua página é de negócios ou pessoal, se tem ecommerce… cada categoria tem um valor.

Você pode pagar mês a mês ou por ano com desconto. Seguem os valores do Squarespace:

 
Valores para website

Valores para website

 
 
Valores para lojas online

Valores para lojas online

 

2 | Domínio

Você pode comprar seu domínio em vários lugares. Pode escolher se quer .com, .net, .org, .com.br e uma infinidade de outras terminações.

Normalmente um domínio normal custa a partir de USD 10.00 por ano. Eu comprei o meu no próprio Squarespace. É um pouco mais caro (a partir de USD 20.00) mas eu não tenho que ficar me preocupando com renovações em diversos lugares.

Mas isso é super pessoal. Eu achei melhor manter tudo num lugar só.


3 | Imagens

Essa é uma pergunta super corriqueira por aqui: “onde arrumo essas imagens lindas para as mídias sociais, para meus posts, para o portfolio etc.”

Eu não “arrumo”, eu compro.

Na verdade eu tenho um membership da Kate Max e uso as imagens dela para dar o tom delicado e feminino que queria no meu branding.

Mas se você não quiser fazer esse investimento, pode conseguir algumas imagens profissionais de graça nessa lista que disponibilizei aqui.

membership Kate Max

membership Kate Max

Além desse, existem diversos sites de banco de imagens que você pode comprar imagem por imagem (quando precisar) ou fazer uma anuidade. Depende de quantas imagens você usa no seu dia a dia.

No meu caso, eu utilizo para compor minha imagem no site, no blog e nas redes sociais. Então seria muito mais caro e trabalhoso pagar uma a uma. Por isso fiz a anuidade e sempre que preciso, entro no site, faço o download e uso como achar melhor.


4 | Softwares

Antigamente a gente comprava um cd que vinha com o programa que precisávamos. Então você saía, andava até uma loja (ou comprava online) e recebia uma caixinha com um cd contendo seu programa. Você usava esse programa até ficar desatualizado, daí você ia e comprava uma versão mais moderna. Certo?

Na-na-ni-na-não.

Agora você paga uma espécie de “aluguel” para ter direito a usar os softwares. Então eu hoje faço uso de dois programas da Adobe: Illustrator e Photoshop (valores abaixo em dólar).

 
adobe.png
 

Se você faz uso do pacote office (excel, word e power point), hoje em dia também tem essa mensalidade para você ter sempre a última versão na sua máquina.

Mas como eu uso pouquíssimo esses programas, fiquei com os meus antigos mesmo.


5 | Mailchimp

Finalmente uma boa notícia!

Esse é um programa gratuito para você organizar seu mailing list e enviar emails para sua lista. Ele é super fácil de ser usado e, se você tem um site em Squarespace, ele tem conexão direta com ele. Isso é, você pode cadastrar seus clientes do site direto no Mailchimp e fazer suas campanhas de lá sem ter que ficar copiando listas.

 
 

Enfim, é esse o meu behind the scenes. Se você quiser saber mais alguma informação do meu dia a dia, me envie um email ou escreva nos comentários abaixo.

Te espero.
Cris

Minhas três regras básicas de marketing

“Como você consegue clientes mesmo estando em vários lugares do mundo?”

Essa é uma pergunta que recebo constantemente. O negócio é o seguinte: eu tenho 3 regras (isso mesmo, apenas três) para ajudar meu marketing.

minhas 3 regras de marketing_blog.jpg

Como o Al Mass Design é um one-woman-show, é humanamente impossível postar no Facebook na segunda, fazer stories na terça para serem postados todos os dias, pensar num podcast para quarta, criar e organizar minhas postagens semanais do Instagram na quinta e chorar na sexta porque nada deu certo.

Isso é uma receita para o fracasso.

Conforme falei acima, sou apenas uma pessoa, não consigo ser expert em todas as estratégias de marketing que existem e tocar o meu negócio ao mesmo tempo.

Então vamos lá:

1 | Crie conteúdo interessante e de valor para seu público-alvo

crie conteudo interessante.jpg

Essa dica já fica invalidada se você tem um negócio que vende para todo mundo ou atende homens e mulheres de 18 a 100 anos (não tá enganando ninguém. Isso é todo mundo também).

Já escrevi uma vez sobre como definir seu público-alvo. Se você está com dificuldade para determiná-lo, vale a leitura.

Voltando a dica: você contratou uma designer, desenvolveu um website lindão, escreve no blog e faz postagens periodicamente para atrair fluxo para seu site mas até agora, fora a sua mãe, ninguém entrou para ler nada.

Daí você se pergunta “ o que estou fazendo de errado"?”

Aí é que entra a importância de você definir o seu público. Você tem que saber o que a sua audiência busca, do que ela gosta, o que ela estuda, o que precisa para seu negócio, o que compra e etc, para trazer esse conteúdo para ela.


Por que você esta lendo esse post agora? Por que as pessoas se interessam pelo que eu escrevo?


Porque você é meu público. É para VOCÊ que eu escrevo. Eu sei o que você tem interesse, o que você precisa, o que você sonha para seu futuro (ok, ficou meio stalker essa frase). Mas estou aqui para criar conteúdo para te ajudar a alcançar seus objetivos porque eu sei quais são eles.

Vou dar um exemplo: você resolveu viajar para Londres e durante essa viagem você escreveu posts como “meu dia em Londres”. A não ser que você seja uma celebridade, ninguém vai se interessar pelo seu diário de viagem.

Mas que tal se você mudar esse foco e começa a escrever coisas como “um guia completo do que fazer durante um fim e semana em Londres”, ou “os 10 melhores restaurantes de Londres para crianças”?

Viu como já tem um público interessado nesse assunto? Esse sim é um conteúdo valioso.

Agora já sei qual será a próxima pergunta “mas se eu escrever sobre o que todo mundo quer saber de graça, por que eles comprariam alguma coisa de mim?”

Bom, as pessoas raramente compram coisas online sem ter tido algum tipo de contato com o website antes. Na verdade aí é que está o pulo do gato: você tem que construir um relacionamento com seu público primeiro.

Mas como você faz isso? Aí vem a segunda dica:

2 | Construa a sua mailing list

Eu sei, eu sei, você agora revirou seus olhos para cima pensando na tonelada de emails que recebe diariamente e não quer ser mais um na caixa dos seus tão sonhados consumidores.

Aí que você se engana.

Apesar dos 500 emails que você recebe por dia de propaganda, tenho certeza que tem alguns que você gosta de receber e quer ler logo que chega. Acertei?

Essa pessoa do email que você gosta construiu esse relacionamento com você. E você nem percebeu.

Seja porque tem um conteúdo que te interessa ou te enriquece com informações e dicas pertinentes, seja porque você a admira como pessoa e quer saber o que ela fez ou disse desde a última semana, seja porque você está namorando alguma peça da coleção nova dela e está monitorando para ver se entrou em liquidação.


Enfim, todos nós temos nossos faves. Mas agora precisamos nos tornar os favoritos do nosso público.


Minha dica aqui é pensar em algo que seu público possa se interessar e dar de presente para ele em troca do seu email, sem que ele perceba.

Se você for na minha home, verá que logo abaixo do banner de abertura eu dou um lista com imagens profissionais de graça disponíveis na internet. Mas para a pessoa receber ela tem que deixar o email e daí eu envio a lista para ela. Bingo!

opt in gift_blog.jpg

Todo mundo que tem um negócio pequeno precisa dessas imagens de graça. E meu público é justamente esse. A Shell ou a Coca-cola não precisam disso, elas produzem suas próprias fotos, mas se você é uma médica, uma advogada, uma chef ou uma professora de yoga e precisa de imagens profissionais para suas postagens, essa lista é uma mina de ouro.

Pense o que sua audiência busca e dê um pequeno presente para ela. Todo mundo gosta de presente.

Algumas sugestões:
- um cupom de 10% de desconto na sua compra
- uma lista com 8 dicas importantes que todo site tem que ter
- uma planilha para você organizar seu casamento
- uma lista com 10 exercícios para fazer em casa e melhorar sua postura


Isso se chama opt-in gift que é quando seu cliente em potencial ganha um presente porque optou por entrar na sua lista. Por isso você precisa saber quem ele é e o que ele busca.


Agora, esse presente é muito importante, então nada de colocá-lo num cantinho desapercebido, meio tímido. Coloque na home, num pop up, no rodapé de todas as páginas. Assuma seu presente. Ele é fundamental para sua mailing list.

E aí vem a terceira dica:

3 | Crie um relacionamento e venda para sua lista

Pense comigo: essa pessoa entrou no seu site, gostou do que você ofereceu de presente, se inscreveu por opção e agora já sabe quem você é.

O que você tem que fazer? Continuar falando com ela.


Ninguém gosta de ser incomodado mesmo que seja pela melhor amiga. Então avalie com que periodicidade você vai entrar em contato com essa lista e como eles irão responder ao seu contato.


Eu uso um site chamado mailchimp para enviar meus emails. Ele é de graça e dá a oportunidade à pessoa que eu enviei de sair da minha lista (snif snif). Assim você mantém seu mailing atualizado apenas com quem quer receber seus emails.

Mas lembre-se, é melhor você mandar seu email uma vez por mês com um conteúdo importante do que enviar algo que não interessa a ninguém semanalmente.

venda pra sua mailing list.jpg

Outro ponto importante: não posso falar por todos os negócios mas, no meu caso, quase todas as vezes que eu marco uma conversa online as chances de eu fechar com essa pessoa é enorme.

Ainda mais porque nesse bate-papo a cliente tem a chance de me conhecer melhor, falar sobre meu método de trabalho, o que ela vai receber, em quanto tempo, olhar nos olhos (digo, no video, já que moro fora do Brasil), eu sempre dou algumas dicas ou caminhos importantes para o negocio dela.

E eu fecho 90% dos meus cliente depois dessas conversas porque as pessoas que são realmente meu público se identificam comigo e com meu estilo gráfico. Elas sabem o que esperar do meu trabalho. Meu site tem muitos exemplos no portfolio.

Se uma pessoa esta buscando algum projeto com estilo gótico ou medieval, por exemplo, eu não sou essa pessoa. Mas se busca algo suave e feminino, é comigo mesmo. E elas sabem disso.

Por isso, no final dos meus emails de marketing eu quase sempre coloco um botão com o link para a pessoa marcar uma conversa comigo. Esse mesmo botão ou link você pode encontrar nas minhas páginas do site. Isso se chama call to action.

Enfim, dê a importância que seu marketing precisa sem tirar o foco (nem o tempo) do seu trabalho.

Se quiser conversar, estou por aqui. Te espero.

9 dicas para o seu negócio | parte II

Se você perdeu o blog de semana passada, comece a ler por aqui.

Para quem estava contando os minutos para ler a parte II, sua espera acabou. Vamos a segunda parte com mais dicas para você.

header post2.jpg

6 | Descubra seu público-alvo desde o princípio

Já fiz um post sobre isso no passado.

Se você alguma vez pensou em começar um negócio, a primeira pergunta que deve se fazer é: quem é meu público-alvo? Para definir sua audiência, pense e responda:
Quem eu quero atender?
Quem vai comprar meu produto?
Quem vai ler meus posts?
Quem se importa com o serviço que eu ofereço?
Para quem eu vou escrever nas mídias sociais?

Se a sua resposta é “todo mundo”, esta começando errado.

Você deve estar se perguntando “mas por que?” e a resposta é muito simples: quando você identifica seu nicho, você vira a pessoa especialista naquele segmento.

Pense no seguinte cenário: você é formada em educação física e trabalha como personal trainer. Muita gente é, e não tem nada de errado com isso.

Mas se você se posiciona como “personal trainer especializada em problemas de coluna”, quem você acha que as pessoas que têm problema lombar vão buscar quando precisarem de um profissional? O personal trainer geral entende de problemas nas costas também, mas você é ESPECIALIZADA. Entendeu a diferença?

E se você for mais além e se colocar como “personal trainer especializado em problemas de coluna para terceira idade”. Viu como fica mais fácil pensar em posts para mídias sociais, assuntos para blog, temas para seminários, etc?

Você até pode perder aquele cliente de 25 anos que está sofrendo com dor nas costas, mas vai ganhar toneladas de outros que buscam esse tipo de expertise.

7 | Use o seu tempo livre para trabalhar sua estratégia de marketing

É verdade. Assim que abrimos um negócio, ficamos com olho grudado no computador esperando aquela enxurrada de emails aparecer. Mas a dura verdade é que temos muito mais tempo livre do que gostaríamos.

Para aplacar essa ansiedade e ajudar seu negócio a crescer, use esse tempo livre para escrever no seu blog, postar nas mídias sociais e cuidar dos seus boards do Pinterest. Dessa forma você ficará ocupada, irá aumentar seus seguidores e atrair mais tráfico para seu site.

Seja qual for a estratégia de marketing que você escolha, (e definitivamente não escolha todas, selecione apenas 2 ou 3) mantenha consistência e use esse primeiro momento para focar nela.


Lembre-se: seus clientes não aparecerão se não souberem onde você está.


8 | Ofereça uma consulta inicial de graça

Não importa se você é personal trainer, arquiteta, coach, nutricionista, natural chef…uma consulta inicial sem custo para seu possível cliente é sempre uma boa ideia.

Uma reunião inicial é sempre uma boa ideia

Uma reunião inicial é sempre uma boa ideia

Seu prospect está buscando um profissional como você. Se ele tem a oportunidade de conversar e trocar ideias, seja por FaceTime, WhatsApp, Skype ou pessoalmente, a chance de você fechar um negócio aumenta tremendamente.

O email serve perfeitamente para tocar o dia a dia de trabalho e cuidar do restante da comunicação. Mas para fechar o negócio e assinar o contrato, coloque seu melhor sorriso e bata um papo sem compromisso.


Esse contato olho no olho (mesmo que seja olho na tela) traz a segurança que seu possível cliente busca.


Não precisa ser de muito tempo não. Bastam 30 minutos para você vender seu peixe, explicar seu processo, mostrar seu diferencial, dar algumas ideias e FECHAR NEGÓCIO.

9 | Se livre do pessimismo

Eu tenho algumas conhecidas que:
- começam um negócio “para ver se vai dar certo”,
- criam um site meia-boca “de graça só para marcar presença”,
- não têm tempo com postagens nas mídias sociais e
- acreditam que “blog é perda de tempo”.
(olhos rolando para cima nesse momento enquanto escrevo essas frases)


Tudo é importante no início do seu negócio. Tudo. Até sua atitude positiva.


Se você começar um negocio já achando que ele não vai dar certo ou colocando nenhum esforço para que dê funcione, advinha o que acontecerá?

Ao invés disso, faça um branding coeso, desenvolva um website lindo de viver, escreva matérias no blog que interessem ao seu público-alvo, faça postagens consistentes nas mídias sociais, monte seu mailing list.

Enfim, seja profissional e seu sucesso virá.