9 dicas para o seu negócio | parte II

Se você perdeu o blog de semana passada, comece a ler por aqui.

Para quem estava contando os minutos para ler a parte II, sua espera acabou. Vamos a segunda parte com mais dicas para você.

header post2.jpg

6 | Descubra seu público-alvo desde o princípio

Já fiz um post sobre isso no passado.

Se você alguma vez pensou em começar um negócio, a primeira pergunta que deve se fazer é: quem é meu público-alvo? Para definir sua audiência, pense e responda:
Quem eu quero atender?
Quem vai comprar meu produto?
Quem vai ler meus posts?
Quem se importa com o serviço que eu ofereço?
Para quem eu vou escrever nas mídias sociais?

Se a sua resposta é “todo mundo”, esta começando errado.

Você deve estar se perguntando “mas por que?” e a resposta é muito simples: quando você identifica seu nicho, você vira a pessoa especialista naquele segmento.

Pense no seguinte cenário: você é formada em educação física e trabalha como personal trainer. Muita gente é, e não tem nada de errado com isso.

Mas se você se posiciona como “personal trainer especializada em problemas de coluna”, quem você acha que as pessoas que têm problema lombar vão buscar quando precisarem de um profissional? O personal trainer geral entende de problemas nas costas também, mas você é ESPECIALIZADA. Entendeu a diferença?

E se você for mais além e se colocar como “personal trainer especializado em problemas de coluna para terceira idade”. Viu como fica mais fácil pensar em posts para mídias sociais, assuntos para blog, temas para seminários, etc?

Você até pode perder aquele cliente de 25 anos que está sofrendo com dor nas costas, mas vai ganhar toneladas de outros que buscam esse tipo de expertise.

7 | Use o seu tempo livre para trabalhar sua estratégia de marketing

É verdade. Assim que abrimos um negócio, ficamos com olho grudado no computador esperando aquela enxurrada de emails aparecer. Mas a dura verdade é que temos muito mais tempo livre do que gostaríamos.

Para aplacar essa ansiedade e ajudar seu negócio a crescer, use esse tempo livre para escrever no seu blog, postar nas mídias sociais e cuidar dos seus boards do Pinterest. Dessa forma você ficará ocupada, irá aumentar seus seguidores e atrair mais tráfico para seu site.

Seja qual for a estratégia de marketing que você escolha, (e definitivamente não escolha todas, selecione apenas 2 ou 3) mantenha consistência e use esse primeiro momento para focar nela.


Lembre-se: seus clientes não aparecerão se não souberem onde você está.


8 | Ofereça uma consulta inicial de graça

Não importa se você é personal trainer, arquiteta, coach, nutricionista, natural chef…uma consulta inicial sem custo para seu possível cliente é sempre uma boa ideia.

Uma reunião inicial é sempre uma boa ideia

Uma reunião inicial é sempre uma boa ideia

Seu prospect está buscando um profissional como você. Se ele tem a oportunidade de conversar e trocar ideias, seja por FaceTime, WhatsApp, Skype ou pessoalmente, a chance de você fechar um negócio aumenta tremendamente.

O email serve perfeitamente para tocar o dia a dia de trabalho e cuidar do restante da comunicação. Mas para fechar o negócio e assinar o contrato, coloque seu melhor sorriso e bata um papo sem compromisso.


Esse contato olho no olho (mesmo que seja olho na tela) traz a segurança que seu possível cliente busca.


Não precisa ser de muito tempo não. Bastam 30 minutos para você vender seu peixe, explicar seu processo, mostrar seu diferencial, dar algumas ideias e FECHAR NEGÓCIO.

9 | Se livre do pessimismo

Eu tenho algumas conhecidas que:
- começam um negócio “para ver se vai dar certo”,
- criam um site meia-boca “de graça só para marcar presença”,
- não têm tempo com postagens nas mídias sociais e
- acreditam que “blog é perda de tempo”.
(olhos rolando para cima nesse momento enquanto escrevo essas frases)


Tudo é importante no início do seu negócio. Tudo. Até sua atitude positiva.


Se você começar um negocio já achando que ele não vai dar certo ou colocando nenhum esforço para que dê funcione, advinha o que acontecerá?

Ao invés disso, faça um branding coeso, desenvolva um website lindo de viver, escreva matérias no blog que interessem ao seu público-alvo, faça postagens consistentes nas mídias sociais, monte seu mailing list.

Enfim, seja profissional e seu sucesso virá.

Etapas para criar um branding completo em 2 semanas

Como vocês sabem, eu moro há muitos anos fora do Brasil. Foram 6 anos e meio em Houston, quase 3 em Dubai, voltei para o Rio achando que ia ficar por lá, agora estou há 1 e meio aqui em Buenos Aires e já de malas prontas para um próximo continente em agosto.

Ainda bem que achei um modus operadi de trabalhar, porque com essa vida nômade que levo, seria quase impossível um emprego formal em cada lugar que moro.

Uma das coisa que sempre fiz nesses anos todos foi ler e pesquisar o mercado :
- os estilos que me agradavam,
- a forma de trabalhar,
- o que eu achava que daria para implementar junto ao meu público no Brasil,
- o que (culturalmente) seria difícil

A partir daí, cheguei a conclusão que uma coisa que eu nunca tinha visto no Brasil era um prazo enxuto para desenvolver branding para pequenos negócios.

blog_etapas apra criar um branding em 2 semanas.jpg

Qualquer projeto de criação que não envolvesse uma grande agência, e um budget de muitos dígitos, demorava uma vida para ser finalizado.


Estava aí o meu diferencial em relação aos meus concorrentes: branding em 2 semanas. 


01 | reunião inicial

Como moro longe dos meus clientes, resolvi meu problema com reuniões via Skype, WhatsApp ou FaceTime. Assim, nos conhecemos, fazemos um olho no olho e não ficamos apenas com a frieza dos emails. E vamos combinar que, com a vida corrida de hoje em dia, não tem a menor necessidade de perder o tempo de ambas as partes para sair de casa, pegar trânsito, estacionar para chegar a mesma solução que um monitor (ou um smartphone) e a internet proporcionam com muito mais comodidade e rapidez.

Além do que, reuniões via internet me permitem atender qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo. Não preciso ficar presa a apenas uma cidade.

02 | inspirational board

Depois desse bate papo inicial, eu envio uma ficha de briefing para entender o que o cliente espera, conhecer um pouco mais da empresa ou do serviço oferecido e a partir daí começo a desenvolver um inspirational board, que é um painel de inspiração, onde coleto imagens que tenham a ver com o negócio em questão e com o conceito que queremos alcançar.

Essas imagens juntas, dão o tom da marca e definem a paleta de cor. 

03 | marca

Depois que a paleta de cor está aprovada é hora da inspiração, digo, transpiração.

Isso mesmo, transpiração, Muito se engana quem pensa que nós designares ficamos sentados embaixo de uma árvore esperando a maçã cair e a ideia aparecer.

Na-na-ni-na-não! São muitos sketches, rabiscos, pesquisas, risca, rabisca, apaga, digitaliza, retraça, deleta, troca, inverte, espelha, encaixa, sublinha, combina, aumenta, diminui, testa até chegarmos as opções escolhidas.

E eu entrego três conceitos diferentes para os meus clientes. Já imaginou?

Depois que uma das opções está escolhida, eu faço os ajustes necessários e a marca está aprovada.

04 | branding board

Com isso, já posso desenvolver o branding board, onde coloco em um mesmo lugar a marca oficial, marca de apoio, símbolo, paleta de cores, tipografia institucional, ícones e patterns e, com isso, já posso desenvolver as três aplicações que estão incluídas no pacote de branding.

05 | aplicações

Com as primeiras etapas aprovadas, está na hora de ver o branding aplicado de maneira concreta através das aplicações escolhidas. Cada pacote estão incluídas 3 aplicações de papelaria a escolha do cliente. Ou podemos desenvolver um website também para compor ainda melhor sua imagem.


Para que eu possa manter meu prazo de 2 semanas, para cada etapa listada acima, o cliente tem um dia para responder. E, é claro, que só consigo manter esse prazo enxuto se o cliente embarcar na minha e for rápido nesses retornos.

Se ele demorar, ou precisar de mais tempo para definir algum ponto, não tem problema nenhum, mas nesse caso eu não consigo (ainda!) fazer milagre ; )

Eu sempre caminho lado a lado com meus clientes. As vezes mostrando um caminho novo, as vezes seguindo uma linha idealizada por eles, as vezes discordando desse caminho mas no final sempre chegarmos ao final feliz.  

 

 

As 5 perguntas para definir quem é você

Fiz um post há algum tempo onde falava como era importante definir seu público alvo. Mas como tomar essa decisão?


Vejo muitos clientes falando "ahh Cris, eu atendo todo mundo". Lembre-se: quem atende todo mundo não atende ninguém.


Tem muita coisa em jogo quando decidimos quem é nossa audiência perfeita (porque iremos deixar para trás um outro bloco grande de consumidores). Esse nicho que você escolher será para quem você vai vender, para quem irá direcionar sua comunicação e seus esforços.

Para definir isso, você precisa entender o que faz de você, você. Isso mesmo, não foi erro de digitação não. Você precisa entender por que as pessoas querem comprar de você. O que você tem de especial?

Eu li outro dia em algum lugar que "você não pode pintar se não tiver paredes".

O mesmo acontece com seu branding. Muita calma nessa hora. Você precisa construir sua identidade antes de decorá-la (decoração = criar um logo).

Definir sua identidade começa com você se perguntando questões importantes sobre seu negócio. E eu criei um questionário para você ter um ponto de partida.

perguntas para definir voce

1 | Quem é você e o que você faz?

Parece óbvio, mas não é. Já fiz reuniões com clientes que não sabiam explicar o que faziam. Ou que davam voltas e voltas até se fazerem claros. Respire fundo e em uma frase tente explicar o que e o seu negócio.

No meu caso é: O Al Mass Design desenvolve a imagem do seu negócio para ajudar você a transformar suas habilidades em um negócio lucrativo.

2 | Onde está o seu diferencial?

Em uma frase escreva o que você oferece aos seus clientes. Depois liste seus serviços ou produtos e os benefícios que seu cliente em potencial terá se decidir te contratar.

Qual a sua diferença em relação a sua concorrência?
Por que seu público deve escolher você ao invés do seu concorrente?

quem eh voce.jpg

3 |  Qual é o seu público-alvo

Quem é o seu mercado? Especifique o seu consumidor ideal. Para quem você gostaria de vender (incluindo tudo, gênero, idade, classe social, onde trabalha, quanto ganha, o que gosta de fazer nas horas vagas etc.)?


Quanto mais específico você for, mais fácil será a sua comunicação com esse público. 


Por exemplo, vamos dizer que você é uma arquiteta e seu consumidor ideal é uma mulher de 35 anos, casada, que trabalha fora, classe A e adora ler revistas de decoração nas horas vagas. Vamos chama-la de Clara.

Onde a Clara vai no fim de semana? O que ela lê na mídia social? Que tipo de conta segue? Que influencer faz a sua cabeça? Que tipo de assunto ela procura na internet para ler? Acompanha algum blog? Qual seria? Ela gosta de fazer cursos?

Uma vez que você determine isso tudo, é lá que você tem que estar.

Se a Clara segue a hashtag #arquitetos, você tem que usá-la em todos os seus posts.

Se ela procura cursos de aprimoramento, e você vende esses cursos, procure um portal fácil de ser encontrado e nao apenas no seu Instagram, como por exemplo, o Sympla.

Se ela frequenta feiras de decoração, que tal anunciar no programa dessa feira.

Enfim, a Clara não vai comprar de você se ela não souber que você existe.

4 | Liste entre 5 e 10 palavras que melhor descrevam seu negócio

Há alguns dias eu estava conversando com um prospect e ele faz bolsas para vinho, bolsas de viagem,  almofadas personalizadas etc. Tudo feito à mão por ele. Que diferencial, não?

Por ele ser homem ele queria uma marca masculina, quando definimos que seu público alvo era formado por mulheres entre 30 e 50 anos, tivemos que abaixar um pouco o tom. Podemos trabalhar com cores mais escuras para passar essa masculinidade, porém com formas sinuosas, para poder conversar com esse público. Afinal, quem tem que se identificar com a marca, é o seu consumidor. 

E a sua marca, como seria?


Feminina, clean, vintage, moderna, sofisticada, popular, clássica?


5 | Por que você precisa de um novo logo e um branding?

Você esta inaugurando um novo negócio e quer começar com pé direito cuidando de todos os detalhes importantes? UHU! Palmas para você.

Ou você já tem uma marca, e até gosta dela, mas acha que ela está precisando de um banho de loja. Tudo bem também, algumas marcas precisam de um makeover de tempos em tempos

Com essas perguntas respondidas, é hora de você contratar um designer gráfico.
(Eu, Eu! Me escolhe!)

Sério agora. Com essas perguntas respondidas, você já tem informação suficiente para passar para a designer desenvolver todo o seu branding. Agora é só trabalhar duro, organizar seu material de apoio (cartão de visitas, papelaria institucional, timeline das mídias sociais) e ser feliz.

Seus 3 primeiros passos para começar seu negócio

Você decidiu se organizar e começar sua empresa. E agora? O mundo dos negócios nunca foi a sua praia?

Já sei, você é fotógrafa e tudo que você quer é agendar clientes e ir tirar as fotos que fazem tantos de nós felizes.

Ou você é arquiteta e decidiu sair daquele escritório que te massacrava e agora está sentada do lado do computador esperando os emails pularem na sua caixa postal.

Ou ainda você é dermatologista e está abrindo seu primeiro consultório solo e não sabe como atrair  suas clientes em potencial para tratamentos especiais.

Aposto como você já entrou no google e começou as suas buscas "como abrir meu próprio negócio?", "Como começar meu estúdio fotográfico?", "como captar clientes para meu negócio?"

Se relacionou com esses mundos?

BLOG_3-passos-para-comecar.png

Eu sei que você já deve ter pensado que "isso não é para você", que você "não devia ter saído do seu emprego", "quem teve essa ideia "horrorosa" de viver do que te dá prazer"? 

Muita calma nessa hora.


A primeira coisa que você precisa é de um plano de negócio.


O plano de negócio vai definir o seu triplo W: what, who, where (o que, quem e onde).

É a base de qualquer negócio. Esse é o primeiro passo que todo pequeno empreendedor deve seguir, mas, convenhamos, isso não acontece com frequência.

Você decidiu ser fotógrafo, pegou sua câmera e saiu dizendo para os outros que estava apta a fotografar famílias, casamentos, produtos, nascimento, batizados etc.

Ou é arquiteta e mandou meia dúzia de emails para os amigos informando da sua nova modalidade, criou uma página no Instagram outra no Facebook e agora esta sentada ao lado do computador.

Mas não houve o retorno esperado e agora você não sabe o que fazer. Posso te dizer que os três primeiros e importantes passos que você tem que dar são:

what.png

1 | Decida que serviços você vai oferecer (what?)

Isso mesmo. Você pode querer fotografar qualquer coisa, por quanto tempo quiserem, a qualquer hora, qualquer ocasião etc. Mas lembre-se:


Quem é especialista em tudo não é conhecido por nada.


Eu recomendo que você comece com três serviços.

Se você é fotógrafo, comece com pacotes de quatro, seis e oito horas de trabalho, por exemplo.
Se é arquiteta, que tal pacotes de um ambiente, apartamento todo ou por hora?
Se é dermatologista, que tal pacotes com tratamentos que englobem o must have da beleza separados em três segmentos?

Isso já organizará seus serviços de modo a guiar seu cliente para uma decisão de compra mais fácil e importante.

Conheço alguns profissionais que dizem que não querem engessar seus serviços, que querem que seus clientes tenham liberdade de escolha etc.

Mas não ficaria muito mais fácil para você:
- pensar na divulgação de apenas três serviços?
- escrever seu blog sobre esses três pacotes?
- definir seu público alvo para esses três segmentos?

Não estou dizendo aqui que você tenha que oferecer três pacotes para sempre. Estou falando para você começar com três. Quem sabe no futuro eles estarão lucrativos o suficiente para você desmembrá-los em outros ou criar sub-pacotes?

who.png

2 | Determine quem é o seu cliente (who?)

Como fazer isso? 
Determine quem é seu cliente ideal. Aquele que você gostaria de trabalhar se pudesse escolher.
- que idade ele tem?
- onde mora?
- homem ou mulher?
- profissão?
- o que gosta de comprar?
- quais são sua prioridades?
- qual o seu estado civil?
- o que gosta de fazer quando não está trabalhando?

Para que você precisa determinar isso?
Para você direcionar sua comunicação diretamente para ele.
Para facilitar o seu dia a dia
Para você direcionar seus esforços com objetivo de alcançar esse cliente ideal

Repare que eu sempre escrevo meus posts no feminino. Por que?
Porque meu público alvo é formado por mulheres.
Para ser mais direta, mulheres de 30+ que chegaram num momento de suas vidas profissionais que estão repensando se querem continuar com o que estão fazendo agora ou se querem mudar de vida e apostar num novo futuro profissional. Elas são profissionais liberais, classe A que gostam de viajar e gastar seu tempo livre com sua família e amigos.

Definir o meu who, o meu cliente, meu público, me deixou focada para escrever posts nas mídias sociais, no blog, definir meu linguajar, minha paleta de cores, minhas fotos, etc.


Tudo que diz respeito ao meu branding, é focado no  público que quero atingir.


Para quem você está vendendo? Quem você quer que leia seus posts? Seja específico.

Se você especificar bem sua audiência, verá que ficará mais fácil definir os três pacotes que falamos na opção 01 e descartar o que não tem nada a ver com ele.

IMPORTANTE:  ter um cliente específico, pode fazer maravilhas na sua conversão. Você não está cansado de receber vários emails com perguntas mas que dificilmente se convertem em vendas? Talvez seja porque você está falando com todo mundo e não com apenas uma pessoa.

where.png

3 | Onde posso te encontrar? (Where?)

Arrume um endereço na internet, mais conhecida como website. Defina seu estilo, organize seus pacotes, planeje suas fotos, escreva seu conteúdo e faça seu website (fiz um post recentemente que pode te ajudar nessas tarefas.)

Quando fizer sua organização, lembre-se que tem três paginas que não podem faltar:
- Sobre: seus clientes irão adorar saber um pouco mais sobre você, sua vida profissional e pessoal. Pessoas adoram comprar de pessoas e não de empresas.

- O que vendemos: nessa página você vai especificar seus três pacotes (pode ser com ou em preço, eu prefiro incluir meus valores, mas isso é super pessoal), como funcionam seus serviços, o que você faz, o que esperar do seu atendimento, que problemas resolve etc.

- Contato: onde seus visitantes podem falar com você. Não tem nada pior que ficar buscando essa informação no site. Facilite a vida de seu visitante.


Eu sei que existem muitas coisas importantes para o bem estar do seu futuro profissional, mas não dá para fazer tudo-ao-mesmo-tempo-agora, então, que tal começar por algum lugar?

Seguindo esses três passos simples (tá, o último nao é tão simples assim), você vai:
- especificar o que você vai vender (what?)
- definir seu público alvo (who?)
- colocar seu anúncio de "seja bem-vindo" na internet. (where?

Dê um ano para seu negócio e avalie. Boa sorte.